Somos a igreja de Cristo

Somos a igreja de Cristo
o quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união....

Vivendo a margem do sistema

Estamos vivendo tempos que quem não participa de nenhuma comunidade é marginalizado pelo sistema....

Seguidores

domingo, 8 de janeiro de 2012

CONSAGRAÇÕES PRECIPITADAS

“Não imponhas precipitadamente a mãos sobre ninguém” - 1Tm 5.22 e 1Co 1.14.

Esta semana fiquei preocupada com o fato de uma denominação da qual eu fazia parte ,ir consagrar para seus quadros 4 presbíteros,entre os quais meu marido,preocupada porque sei que dos 4 que serão consagrados,somente um de fato é vocacionado ao presbitério,e não é o meu marido,pois ele é um diácono e sempre será um diácono,esta é sua vocação,sei que apesar do título que ostentará a partir de hoje,ele nunca será um presbítero de fato,me pergunto oque leva um pastor a fazer isto? Será a necessidade? Será o desejo de agradar às pessoas? Sinceramente eu não sei,apenas entristeço-me,quando olhamos o texto de 1Timóteo 5.22, Paulo certamente se refere à ordenação de presbíteros, pois nos vv. 17 a 20 refere-se a eles. Precisamos ser muito criteriosos e rigorosos no exame de pessoas a serem ordenadas para o oficialato na Igreja. É um desastre termos como diáconos, presbíteros e pastores, pessoas que não foram chamadas para esses ministérios e qualificadas por Deus. Muitas vezes essas consagrações são movidas por vaidades e interesses ilegítimos, buscando indevidamente o oficialato, inclusive o pastorado. Como isso é trágico! Na Igreja freqüentemente tornam-se maus obreiros.“Não imponhas as mãos sobre ninguém, precipitadamente”. De modo especial precisamos observar rigorosamente esta recomendação, que não é de Paulo somente, mas sim do Espírito Santo quando se tratar de ordenar ministros. Presbíteros e Diáconos ordenados indevidamente, precipitadamente ou irresponsavelmente, certamente serão um sério problema; para a Igreja e para eles mesmos. Levemos a sério o ensino bíblico.

2 comentários:

Daniel Januário disse...

Os próprios candidatos que deviam fazer um exame em si mesmos segundo os critérios bíblicos . Não é covardia recuar e dizer a verdade como : "Não aceito tal consagração , porque sei que aquilo que Deus diz em sua palavra sobre o que é presbítero , é o que vale e não o que acho , e sei que não sou presbítero"
Se assim fizessem os candidatos , não seria covardia , mas coragem . Muitas vezes desistir não é covardia , mas coragem . Sempre deve-se avaliar o contexto do que se deve aceitar ou negar . A preocupação é que possivelmente ( Deus o sabe) alguns destes talvez não saibam as qualificações para tal função por isso a aceitam sem problemas . Mas caso pelo menos um dali que sabe das qualificações e sabe que não as tem e mesmo assim aceita , tal pessoa não é corajosa , mas covarde . Por isso vivamos como Paulo disse aos irmãos em Corinto no passado quando instruía sobre o partir do pão: " Examine-se o homem a si mesmo " e complemento - segundo a palavra e seus critérios .

Rosimary Vasconcelos disse...

De fato é uma verdade isto Daniel,recusar é pra quem tem coragem,mas infelizmente nem todos tem esta coragem,é triste ver que nos dias de hoje qualquer um é pastor,presbítero,diácono e até apóstolo....Só está faltando agora alguém com o título de Deus.